quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Oscaaaaaaaaar

Ontem eu fui fazer uma produção no Tampopo, que fica na Rua da Consolação x Rua Oscar Freire, e no meio da história tive que sair pra ir sacar dinheiro. O caixa ficava na Rua Estados Unidos, então eu fui a pé.

Eu nasci e fui criada no Jardim Paulista, e morei lá bem até meus 20 e poucos. Sempre foi um bairro legal, mas gente, não era assim não. Virou um quilombo às avessas, é tudo o que passa pela minha cabeça como base de comparação.

Nessa andada que eu dei, de sei lá, 20 minutos, eu não vi UM morador na rua. Mas vi meninas atendentes de lojas chiquérrimas vestidas em roupas brilhantes e saltos-agulhas, disfarçando os tons castanhos do cabelo com tinta barata. Vi um go-go boy passeando com um cachorro maltês e falando ao celular: "Sou assistente de produção". Vi várias pessoas, aliás, passeando com cachorros - sempre cachorrinhos pequenos e branquinhos -, a maioria de uniforme.

Uma mulher negra, de seus 70 anos, andava carregando sacolinhas de compras, em um vestido azul-escuro emoldurado por um avental e uma touca brancos. Curvada, porém rápida e bem forte - é a mucama do século 21.

*

Na loja de conveniência do posto de gasolina, comi a melhor empada da minha vida, deixa qualquer uma de empadaria no chinelo. Uma empada IMENSA, macia, cheia de palmito/azeitona preta/algum creme que eu não soube identificar. Ficadica pro Clayton ir lá e avaliar. Vale bem a pena.

15 comentários:

bobmacjack disse...

A cidade está morrendo. As pessoas não querem mais conviver. Medo de assalto e overdose de automóvel. Condomínios fechados são os novos campos de concentração.

disse...

Eu trabalho na Oscar desde maio. Realmente é um choque.
É uma rua padronizada, com pessoas moldadas.
Muitos seguranças e carros que fecham o trânsito arbitrariamente, pq todos na Oscar são importantes, sabe?
Enfim, é repetitivo, cansa. As mesmas botas, as mesmas bolsas e tudo mais.
Ah! E faz muito mal para a auto estima, pq parece que ng tem bad hair days por aqui...

Daniela disse...

Lele, não costumo ir à Oscar Freire, mas frequento muito o Iguatemi (meu escritório é em frente ao Shopping) e toda vez que entro lá penso que estou num universo paralelo.

Ajuda eu disse...

todo mundo de cabelo liso, a progressiva comandando. Verdade lele, as tintas baratas... a cara de desdem e luxo. te olham de cima a baixo, julgando pela aparência. As vezes ando por ali, qdo tem transito na consolação ou na augusta e quero chegar rápido ao metrô. Tenho cara de periferia, sabe. As pessoas sacam isso.

vicmatos disse...

hmmmm... empaaadaaaa [/homer simpson]

Nina disse...

(E bobmacjack disse melhor o que eu quero dizer)

São Paulo me cansou, entre outras, por estas coisas...
Imagina que eu fiz ESPM no período da manhã.
Cara, foda!
E é por esta uniformização-padrão que eu NÃO USO CABELO LISO NEM FODENDO. Pior que meu cabelo É loiro (escuro) e liso, mas eu me esforço até ele ficar ondulado.

Floripa está indo pelo mesmo caminho, aff!!! (Jurerê "Internacional" que o diga...)
Conversa que escutei na porta do ex colégio da minha filha de 4 anos, entre duas mães. Indignadas:

- Nossa, já está na hora dela mudar, só pensa em trabalhar!

- É, ela não pára, não pára!

- Tem que aprender a ver televisão, novela, ler a "Caras".

- É, para ter assunto.

Ainda bem que mudei minha filha de escola!

VH Marx disse...

Nem fale, Oscar Freire não tem pessoas de verdade.

Parece que estou passando numa fábrica de pessoas, na qual todas saem com a mesma roupinha, mesma LV.

Lib disse...

alias, voce ja comeu o tal do melhor bolo de chocolate do mundo, ai nos Jardins? tipos, decepcao total.

nao conheco muito bem a geografia de Jardins (vivia confinada em Higienopolis - Pacaembu - Perdizes), mas voce descreveu bem a impressao que tive nas vezes em que por la andei.

Bem. Eu vivo em Dubai. Isso aqui e um universo paralelo. A criancada anda de bone da Gucci original. A mulherada anda com celular banhado a ouro e cravejado de diamantes (Swarovski, pfff, ate parece). E muito cafona.

Eu aqui juntando dinheiro pra comprar meu Beetle preto e acordo com uma FERRARI estacionada na minha porta.

E a pessima combinacao de dinheiro com falta de berco.

overthat disse...

Ah, eu via muito disso quando trabalhava lá na Bela Cintra. Eu andava SEIS QUADRAS até a Nove de Julho pra pegar o ônibus pra casa e ficava pensando exatamente a mesma coisa.
E olha que eu nem nasci nem fui criada um aninho sequer no Jardim Paulista.

Tefy disse...

barbie's town = oscar freire.

e meu, entrei aqui só pra falar que empada é o melhor salgadinho e até hoje não achei uma perfeita e que eu odeio morar longe.


:*

Mel disse...

Entendo sua dor, Lele!
Cresci no Itaim e não volto pra lá por nada:precisa fazer chapinha e makeup glam para descer e pegar a pizza, sabe assim?
BLAAAAAAAARGHHHH, emerrrrgentes.

conidaja disse...

é lele.. as billionaires dos jardins europa e américa sao a velha geracao, têm um desconto, mas o pessoal do jardim paulista bota pra quebrar no provincianismo, bizarro..

Thais disse...

Cuidado máximo ao usar o termo "quilombo" tão perjorativamente!
Fica a dica bem de bem de uma aspirante a antropóloga e que estuda "quilombos".

Boneca falante disse...

Há uns anos, depois de almoçar ali na Paulista, sobrou um filé de frango grandão que eu não tinha nem tocado. Mandei embalar e pensei: dou para alguém que precise.
Desci ali pela Augusta e não achei um único mendigo, pobre, nada. Ninguém.
Limpar os pobres da parte nobre da cidade é realmente uma solução eficiente para a questão. O que será que vão fazer quando acabar o "espaço extra" para colocar os sem teto, os mendigos?

Boneca falante disse...

PS: eu já comi o melhor bolo de chocolate do mundo e posso garantir que ele não custa R$ 7,50 o pedaço e não pode ser comprado na OScar Freire. Dinheiro jogado fora. Eu teria ficado mais satisfeita com um docinho daquele rosa que vc compra na padaria e vem embrulhado no plástico.