quinta-feira, 4 de setembro de 2008


Sob o sol de setembro eu revivo, eu reajo, eu ressôo, eu re-sou.
A reentrada da primavera me remete ao meu coração retinto
Recendendo ao velho perfume de calêndula que me
Reacende antigos outros perfumes-relíquias, um a um,
No refúgio imaginário dos reincidentes.

6 comentários:

Nina disse...

Lele!!!

Você ARRASOU tanto nesta foto, que até ofusca a beleza do texto!

Você é o próprio sol.

http://meninadecachos.blogspot.com/

Clayton disse...

oi decote, tudo bem?

Bruno disse...

Texto lindo hein! E a foto... bom deixa pra lá né.

m.soldi disse...

Adoro RRRRR

Oz disse...

Dou-lhe um tapinha na re-taguarda;
Reajes mal.
Dou-lhe um beijinho no rê-go;
E não reajes.

Marina disse...

Realmente! Nina tem razão!
Que foto linda!